terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Uma caixinha de surpresas

Sempre que eu me deparo com um acontecimento inesperado, me pego dizendo uma frase, usada, se não me engano, por um humorista brasileiro. Ele diz que “a vida, essa sim, é uma caixinha de surpresas”. Taí uma coisa muito divertida e da qual eu acho que vale a pena falar, especialmente nesse período em que nos despedimos de um ano para receber outros 365 dias novinhos em folha.
Você, como eu, deve ter tido algumas surpresas desagradáveis em 2009. Mas tenho certeza de que também vai cantar aquela musiquinha em que diz adeus ao “ano velho” relembrando um montão de coisas boas que rolaram, muitas delas sem o mínino esforço da sua parte, quase como obra do acaso. Pode ser uma garota que você detestava – ou achava que detestava – e que virou uma grande amiga, do nada. Ou a oportunidade de uma viagem que não estava nos planos. Ou a ficada com um garoto em quem você não apostava nenhuma ficha e que foi uma curtição só. Pois é, às vezes é de onde menos esperamos que vêm as tais surpresas,especialmente as boas.
E é justamente essa falta de controle sobre o que vai nos acontecer amanhã que dá graça aos nossos dias. A gente sonha, faz planos, bola estratégias mirabolantes para alcançar o que desejamos. Mas, muitas vezes, morremos na praia e os rumos que a vida toma mudam completamente a nossa direção. Tipo: passamos meses de olho num menino, até ficar com ele. Mas, quando tudo parece estar conspirando a nosso favor, o bofe resolve sumir. O que sobra é aquela tristeza, uma sensação de derrota que é de matar. Mas, no dia seguinte – ou talvez algumas semanas ou meses depois –, acabamos percebendo que aquela história não poderia ter tido um desfecho melhor. E um outro garoto muito mais interessante aparece e, sem que a gente se dedique tanto a impressioná-lo, a química simplesmente acontece. Naturalmente.
Então, aproveitando que mais um fim de ano se aproxima e que o momento é de espantar o baixo astral, que tal pensar mais nesses presentes que recebeu da vida e menos naquelas expectativas que, no fim, não deram em nada? Esqueça os romances que podiam ter sido, as festas que você perdeu, os enganos que cometeu, consigo mesma e com os outros. Tente lembrar só das boas surpresas, daquelas vezes em que você pensou “não acredito que isso está acontecendo mesmo!”, com um baita sorriso nos lábios. Se forçar a memória, vai resgatar vários momentos desses, nem sempre provocados por um grande acontecimento, mas que têm a ver com os pequenos prazeres do dia a dia. Juntando todas essas conquistas – umas maiores, outras, nem tanto -, vai ver que 2009 não foi tão ruim. E que vale a pena começar 2010 com tudo em cima, desencanada de fazer tantos planos e mais aberta para acolher o que a vida tem a lhe oferecer. Pode apostar que muitas experiências boas, alegrias e aprendizados estão reservados logo ali, no futuro, pra você. Alguns vão surgir na sua vida de modo inesperado, o que os deixará ainda mais interessantes.
Se não deu certo neste ano que passou, é porque não era esse o melhor caminho mesmo. Acredite: o melhor ainda está por vir! Então, bora receber esse ano novo de braços, olhos e coração bem abertos!

9 comentários:

'Linee disse...

Oiiee, eu amo seu blog, passo aqi sempre qe tenho tempo... ou então leio seus textos na atrevida... sao muiito bons, e qeria saber se posso de vez em quando publicar alguns no meu blog, mais claro, dando os creditos à autora...

Bjoos ;*

Mariana disse...

Adorei esse texto é mesmo super importante refletir sobre o que aconteceu ao longo do ano ,parando para perceber que coisas muito boas fizeram parto deste círculo.Comigo eu fui para uma unidade nova do meu colégio,conheci gente nova,me apeguei mas aos amigos antigos,fiz melhores amigos e pra fechar com tudo me apaixonei por um amigão que conheci esse ano(espero um bom desfecho em 2010!kk),até mandei um texto que escrevi praele (ele não sabe)para para o blog da atrê ! rs.
Adoro sua coluna ,sucesso, Feliz 2010 :D

- Nessah ਏਓ disse...

Eu também concordo que a vida é como uma caixinha de surpresas.
O que realmente esse ano foi. ;)
Eu não olho o ano pelo o que aocnteceu de ruim mas sim como você disse pelos acontecimentos bons.
Beem eu nem acreedito que estou comentando no seu blog, eu sempre leio sua coluna na ATREVIDA e também gostei muiito deste texto.
Me visiita?
Beijos linda ;*

lovemike_cylp disse...

Olá!
Antes de comentar aqui, gostaria de dizer que adorei esse texto - penso em ser jornalista, ou escritora, e gostaria de poder fazer isso, escrever uma matéria tão legal numa "revista de adolescente", mostrar que elas não são tão ruins como boa parte das pessoas julgam. Enfim, adorei o texto! ^^ Me identifiquei muito com ele. Essa parte, sobre os grandes acontecimentos também serem encontrados em coisas do dia a dia, nossa, muito legal isso. Temos mesmo que valorizar essas pequenas coisas, que, na maioria das vezes, são as mais prazerosas - e aquelas que muitos esquecem de dar a devida atenção. Será que posso contar o que aconteceu de legal comigo nesse ano? Bem, antes, esse ano contou mesmo com algumas "surpresas desagradáveis", mas o legal disso é saber que aprendi muito, por mais que tenha sido difícil, com cada uma delas. Uma surpresa, que foi realmente uma ( grande) surpresa, foi o fato de eu ter passado na primeira fase do primeiro vestibular que prestei na minha vida – isso foi muito legal, completamente inesperado, e um “tapa” na minha autoconfiança. Agora, respondendo o que aconteceu de muito legal comigo esse ano, e também uma super surpresa, foi o fato de eu e minha amigas termos assistido ao show do McFly, que voltou ao Brasil em Maio – uma surpresa porque os vimos de perto, em um dos shows; e, a outra e grande surpresa, foi que eu e uma amiga, que fomos até o Hotel onde eles se hospedaram em São Paulo, conseguimos ver nosso integrante favorito passar pelo saguão do Hotel – não conseguimos pegar um autógrafo, mas esse certamente foi um dos momentos em que pensei “não acredito que isto está acontecendo!”, e foi simplesmente incrível. Espero poder realizar meu sonho de conhecer essa banda pessoalmente, e tantos outros, no próximo ano que já está por vir.
Desculpe pelo longo comentário!
Um abraço,
Camila Paixão, São Paulo, SP.

my diario virtual disse...

oi rita ,ha nesse ano conteceu muitas coisas boas e ruins na minha vida ,mas a melhor de todas e q eu escrevi 3 livros muitos legais e to no 4,certo dia eu fiquei imaginando como eu queria q a minha vida fosse e resolvi escrever um livro eu amentei mas a historia e coloquei mas açao e romance e ficou legal e o meu sonho e q atrêvida um dia fale dos meus livros se vc quiser saber mais sobre eles .comenta ai e eu te falo thau!!!!!!!

Carol disse...

Oi Rita! Bom 1° eu sou sua fão, adoro ler seus artigos na Atrê, e resolvi entrar no seu blog, e não me arependi. perfieto! Pretendo fazer facul de jornalismo, mesmo tendo que ficar a kms. de distância de casa! Acho fantastico. Agora estou lendo "O leitor apaixonado" de Ruy Castro, que tem os artigos que ele publicou, é ótimo mesmo! Rita, Te Adoro de MAis, Você é um exemplo para mim!

láah disse...

Cara,ameei esse texto,você escreveu aquilo realmente o que eu tava sentindo,pensando..Que mew só comigo que as coisas nao davam certo? Mais dai eu percebi que se ainda nao deu certo,é porque Deus tem algo muito melhor pra mim..Seu texto mudou realmente a minha idéia,e que o ano de 2010 seja muuuuuuuuuuuuuito melhor que o de 2009,bgs :*

Dani Borsari disse...

Espero ser um dia como você.

Isabela disse...

Olá, leio seus textos na Revista (Atrevida, eu acho rsrs). E concordo com tudo o que você diz. Percebo que suas palavras servem de impulso para o que muitas vezes precisamos reavaliar, conceituar, pensar.
Parabéns pelo seu belo trabalho em escrever de uma forma que seu público seja impulsionado e se aprofunde no que você diz.
Se puder, humildemente peço que dê uma passadinha no meu cantinho virtual, onde também tento expressar-me de uma maneira própria o que penso, e se caso gostar ou não, deixe seu comentário.
Grata.
Is.